Contoterapia – Que bicho é esse?

(Para leer el texto en Español pincha en: Cuentoterapia)

A caixa de imaginação contoterapia

Hoje vou compartilhar com vocês algo muito importante para mim e que tem sido um grande instrumento na educação do meu filho.

Antes de ser mãe havia lido dezenas de livros sobre como educar os filhos. Com tanta informação, pensei que já estava preparada e que tiraria de letra essa tarefa. Hoje dou risadas de mim mesma, e da minha grande ignorância. Os primeiros anos com o meu filho foram desastrosos e eu me sentia perdida e desesperada.  Foi então que descobri o mundo mágico dos contos e como poderia usá-los para educar ao meu pequeno terremoto. Para minha surpresa, ele reagia positivamente e captava os ensinamentos das historias que eu criava e havia uma mudança de comportamento.

Um exemplo: Ele começou a utilizar constantemente a palavra tédio. “Que tédio, mamãe!” “Que entediado estou.” “Não me divirto nada, que tédio!”

Criei horror a essa palavra. Eu não podia aceitar que o meu filho crescesse pensando que a vida é um tédio. Então, criei um conto cuja mensagem final é “Quem tem imaginação nunca se entediará.” Esse passou a ser o seu conto favorito e consegui arrancar essa “maldita” palavra do pensamento dele.

Houve uma mudança de pensamento, baseada na reflexão aprendida através do conto.

Depois dessa experiência comecei a pesquisar sobre o assunto e vi que existem muitos profissionais tanto na área da educação como da psicologia que realizaram vários estudos sobre a influência dos contos na conduta humana. Acabei me apaixonando pelo assunto e agora estou fazendo uma Posgraduação em Contos e Fábulas Terapéuticas.

O Conceito de Contoterapia que mais se identifica ao enfoque que estudo é:

A contoterapia é a técnica e ferramenta que se baseia no uso de contos e material didático, para abordar diversas situações socioemocionais e comportamentais apresentadas por algumas crianças, entre elas: manifestações de tristeza, ansiedade, emoções positivas e negativas, baixa regulação como condutas imediatistas, impaciência, deficiência no controle de impulsos e intolerância. Também estão comportamentos perturbadores como: agitação, distração, gritos, maltrato físico ou verbal por parte da criança. Além disso também podem ser tratadas temas como: conflito armado, morte, mudanças na estrutura familiar e déficit em habilidades comunicativas. (1)

Conforme explica Bruno Bettelheim, os contos

Ajudam as crianças a elaborar seus medos e conflitos afetivos, a criar identificação positiva e formar referentes que lhe darão segurança no seu processo de amadurecimento. Os contos são especialmente adequados para as crianças, já que prendem sua atenção, porque são capazes de diverti-las, aumentar sua curiosidade, estimular sua imaginação e enriquecer sua vida, ao mesmo tempo que ajudam a desenvolver seu intelecto, reconhecer suas emoções, tratar a ansiedade e abordar seus sonhos.

No entanto, algo que tenho percebido é que a contoterapia está enfocada para ser um instrumento dentro da educação escolar, quando a minha proposta é aproximar esta técnica à esfera familiar.

O instrumento principal será um conto, uma historia para ser contada pelo pai/mãe ao filho/filha. Além da história darei algumas sugestões de como trabalhá-la para alcançar um objetivo determinado. Um exemplo simples é o post sobre o conto “O Monstro de Cores”, utilizado para ajudar a criança a conhecer alguns sentimentos.  

Bem, não quero ser muito extensa nesse post, já que se trata de uma introdução a outros, onde pouco a pouco vamos desenvolvendo e compreendendo como aplicar a contoterapia em casa.

Obrigada por acompanhar-me até aqui. Se você tem alguma sugestão ou dúvida deixe seu comentário, será um prazer trocar ideias. Até breve.

 


(1) Cuentoterapia un programa funcional de intervención psicopedagógica de conductas internalizantes y externalizantes en niños de básica primaria. Autores: Martínez Luján, Catalina. Ramírez Atehortúa, Cristina. Pineda Córdoba, Manuela.

logo do blog a caixa de imaginação

Anúncios