Seis dicas para encontrar respostas criativas aos problemas

Saindo do olho do furacão

Mostra de arte Castellón
Foto de arquivo: Claudine Bernardes. Mostra de Arte Contemporânea de Castellón.

Na semana passada participei em uma oficina sobre como buscar respostas criativas aos problemas (organizado dentro da “Feria Internacional de Arte Contemporáneo de Castellón”). Escutei bastante, aprendi algumas coisas e somando aqui e ali, juntei tudo no que agora compartilharei com você.

Tenho certeza que, ao tentar dar um conselho a alguém que passava por um problema, você já escutou: “Você pensa assim porque não está na minha pele, só eu sei pelo que estou passando”. E também tenho certeza que você mesmo já pensou assim.

É importante “colocar-se na pele” de outras pessoas e tentar ver com os seus olhos para compreender seus sentimentos. No entanto, quando se está passando por um problema, o melhor é “sair da pele”. O que é isso? Quando você estiver passando por um problema, saia do olho do furacão, tente ver a situação desde fora, com outra perspectiva. Isso não significa deixar de lado o problema, ao contrário. É importante ter uma visão geral, uma vista panorâmica que o ajude a encontrar a saída.

Contarei uma experiência que vivi, para que você possa compreender melhor o que estou tentando explicar.

escalar muro artificial claudine
Foto de arquivo. Campeonato de Escalada Esportiva. Ano: 1999. Rio do Sul/SC.

Há anos, quando ainda escalava, fui com meu amigo Michel Aymone em um campeonato de escalada esportivas. Fazia pouco tempo que praticava esse esporte e nunca havia escalado em muro artificial, assim que imagine a situação. Michel, além de ser meu amigo de infância, era também meu fiel companheiro de aventuras e instrutor.

“Claudine, você deve ler a via. Observe as agarras de perto e depois se afaste. Faça um croqui mental de cada passada, escale a via na sua cabeça, pense na posição dos pés e das mãos, só assim você vai alcançar o topo.” Me aconselhou Michel.

Quando a via estava pronta e chamaram todas as competidoras para fazer a leitura da via, percebi que me sentia perdida. Não conseguia concentrar-me ao ponto de “ler a via” desde a primeira agarra até a última. Estava nervosa, porque me sentia dentro do olho do furacão. Tudo girava! E para piorar, a primeira passada não ajudava. As duas primeiras agarras para as mãos não estavam distantes uma da outra, mas a terceira era impossível. Tentei fazer a passada mentalmente, no entanto percebi que meu braço não a alcançaria. Foi então que observei como outra garota lia a via. Ela era muito mais experiente que eu, se notava. Percebi como simulava o movimento inicial dos braços com as mãos cruzadas. Ou seja: ao invés de pegar a agarra da direita com a mão direita e a da esquerda com a mão esquerda, ela havia invertido os braços. Com essa técnica conseguiria alcançar a seguinte agarra, sem a necessidade de fazer a troca de mãos, que poderia resultar numa queda. E é lógico que eu copiei a solução!

Encontrar-se com problemas faz parte do percurso da vida. Inclusive, já falei sobre isso no Post “O caminho e a Pedra”. Fugir deles nem sempre é uma opção. Fernando Pessoa deixou registrado no seu “Livro do desassossego” uma frase que gosto muito:

“Trago comigo as feridas de todas as batalhas que evitei.”

Se você não quer ou não pode evitar essa batalha, deixo umas pequenas dicas que podem ser de ajuda:

  1. Tranquilize-se: entrar em desespero só vai piorar a situação. Bastante óbvio, no entanto, pouco praticado.
  2. Saia do olho do furacão: afaste-se do problema, tente vê-lo desde longe, com outras perspectivas. Imagine que não é você quem está passando por este problema, e sim outra pessoa que você conhece. Que conselho você lhe daria?
  3. Busque soluções alternativas: é um engano pensar que só há uma solução. Seja criativo! Uma solução que num princípio parece absurda, pode ser a resposta que você está buscando.
  4. Peça ajuda: é importante contar com a ajuda de outras pessoas. Nem sempre elas poderão dar uma resposta ao seu problema, porém lembre-se que todo corredor de maratonas tem alguém de apoio para entregar-lhe água durante o caminho.
  5. Observe outros que passaram pelo mesmo problema: aprender com a experiência de outros é uma atitude de sábios.
  6. Escreva a sua própria sugestão: pense em como você enfrenta os problemas, observe as suas debilidades e fortalezas. Nem sempre uma solução que lhe ajudou em outro momento, servirá agora. Uma visão pobre gera respostas pobres. Seja amplo, ampliando a sua visão.
Fernando Pessoa - Livro do desassossego
Foto de arquivo: Claudine Bernardes. Lugar: Villafamés (Espanha) Setembro de 2015.

Lembre-se que “A Caixa de Imaginação” é um canal de comunicação bilateral. Será gratificante receber seus comentários e ideias.  Se gostou,  por favor, compartilhe! (Puedes leer esta entrada en español: Seis consejos para encontrar respuestas creativas a los problemas)

Anúncios

3 comentários sobre “Seis dicas para encontrar respostas criativas aos problemas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s