Tag: contos e fabulas terapeuticas

Árvore e folha: o livro de Tolkien que fala de fantasia

Todos conhecem a Tolkien pelo livro ou filme “O Senhor dos Anéis”, hoje eu lhe apresento um livro mais didático. Foi difícil encontrar uma edição desta obra aqui na Espanha, tive que comprar um exemplar usado, porque não encontrei nenhuma edição em venda. Mas não me arrependo do investimento de tempo de dinheiro. Muitos de

Continue lendo

VIDEOAULA GRATUITA: EDUCAÇÃO EMOCIONAL NAS ENTIDADES RELIGIOSAS

Cada dia recebo dezenas de e-mails de pessoas buscando material para poder trabalhar a Educação Emocional. São professores, psicólogos, coachs, contadores de histórias, pais e mães, terapeutas etc, que se preocupam com o ser humano, que amam o seu próximo e desejam plantar sementes de amor, resiliência, respeito na vida de outros. Muitos me explicam

Continue lendo

Conto inédito Esperança de Natal. De Claudine Bernardes

Vamos ser sinceros, há um ano ninguém imaginava que viveríamos um natal tão estranho… mas não foi estranho o primeiro Natal? Ou foi um mar de rosas para Maria e José… nada disso… estavam longe de casa, Maria super grávida e sem um lugar para poder ter um parto normal… que naquela época não é

Continue lendo

AULA ONLINE: FALAMOS SOBRE A IRA?

Quer descobrir ferramentas para gerenciar a ira? Vem participar desta aula cheia de possibilidades interessantes. Vamos falar sobre a hétero regulação da ira/raiva infantil e adulta e a autogestão emocional (tanto daqueles que educamos, quanto nossa). Teremos aos contos como protagonistas, será algo especial, cheio de emoção e possibilidades. Quando? Quinta-feira 19 de novembro/2020 às 18h30 do

Continue lendo

Respondendo perguntas: O que conto para os meus filhos e como conto.

Hoje vou responder algumas perguntas que vocês me enviam. As perguntas são: O que você lê para os seus filhos? Como você organiza os livros em casa? Você continua contando conto para o seu filho que já sabe ler? Quer me fazer perguntas? Deixe a sua pergunta nos comentários que eu responderei.

Oficina de Emoções com o Conto Carlota não quer falar

O objetivo da oficina é que os participantes compreendam o efeito das emoções, identificando-as no momento em que ocorrem (consciência emocional), não somente em si mesmas, mas também em outros.  Além disso, também aprenderão sobre a importância de falar sobre os seus sentimentos, e receberão ferramentas para administrá-los (regulação emocional). Exercitarão também a empatia e

Continue lendo

Programa de Ed. Emocional para Pais: Crescer em Tempo de Crise

Estamos vivendo uma situação insólita, você não acha? Ha seis meses atrás você imaginava viver essa situação. Eu não! Mas aqui estamos, presos em casa, temerosos de que um virus que nem vemos, mas que está fazendo muito estrago, nos pegue. Aliado a isso, muitos temos a nosso cuidado crianças que há dias não saem

Continue lendo

A importância dos Contos na Educação e Terapia

“A alma humana tem a necessidade inextinguível de que a substância dos contos flua através de suas veias; assim como o corpo necessita ter substâncias nutritivas que circulam através dele.” (Rudolf Steiner) Você pode escutar este post através do Podcast que preparamos: Quando escutamos falar sobre contos, imediatamente os associamos a infância e nos traz

Continue lendo

Mais um ano cheio de contos: O que aconteceu em 2019

Quero iniciar 2020 agradecendo a sua companhia durante todo 2019. “A Caixa de Imaginação” conquistou um espaço muito importante durante este ano, com quase 500.000 visualizações, e mais de 100.000 visitantes, o que é muito para um blog desta categoria. Quero aproveitar para contar um pouco do que foi esse ano e as coisas incríveis

Continue lendo

Conheça o Conto “A Amendoeira Triste”, um material completo para trabalhar a tristeza, o otimismo e a resiliência. Vem com o Jogo do Otimismo.

Uma alma triste pode matar mais rapidamente que uma bactéria  (John Steinbeck)  Quando lancei o meu primeiro livro “Carlota não quer falar”, juntamente com o “Projeto de Educação Emocional com Carlota” recebi diversas mensagens perguntando porque não havia introduzido a tristeza entre as emoções trabalhadas no citado material. Não o fiz porque desejava trabalhar a tristeza de

Continue lendo