Resenha livro: Igreja entre aspas.

Somos pedra ou gente?

livro Tuco Egg, editora Grafar
Fotografia de arquivo: Claudine Bernardes

O autor desse livro, “Tuco Egg” é um desses cristãos que não encaixam na atual estrutura dos cristianismo brasileiro. Um tipo simpático, que gosta de aventuras “montanhescas” e tererê com limão. Conheci esse camarada e sua agradável família em uma “trip” inusitada ao Petar (Parque Estadual Turístico do Alto da Ribeira). Ele, juntamente com um grupo dos Montanhistas de Cristo, me receberam de braços abertos, e me incluíram na sua aventura sem nunca ter me visto antes.

Por isso, quando vi que Tuco estava lançando um livro fiquei super curiosa. Removi céus e terras para conseguir trazer o livro do Brasil e por fim consegui.  Mas, o que é isso de igreja entre aspas? Tuco Egg começa o segundo capítulo do livro com uma citação bastante interessante:

É difícil fugir da conclusão de que, hoje, uma das maiores barreiras que se erguem contra o evangelho de Jesus Cristo é a igreja institucionalizada.       (Snyder 2001:23)

Essa “igreja institucionalizada“, que é na verdade a igreja entre aspas indicada pelo autor, difere muito da Igreja de Cristo, um corpo formado por pessoas, não um templo feito de pedras. No entanto, hoje em dia se observa que para essa igreja o “crente” é um cliente “… então mantê-lo  interessado é questão de sobrevivência.”

E Tuco continua alfinetando a atual triste realidade do cristianismo ao dizer: “O cristão moderno tem música, revistas, programas de televisão e rádio, grifes de roupa, livrarias, eventos, feiras, restaurantes, shows, dança, teatro voltados para entretenimento próprio. Na nossa realidade cristã, o auge do discipulado acontece quando conseguimos transformar um crente novo em alguém tão esquisito e alienado quanto nós mesmos.” Estas são palavras muito fortes, mas precisavam ser ditas.

Percebi que a intenção do autor não é criticar por criticar, porque ele é um cristão comprometido e sincero. Por essa razão, apontando e revelando o problema, também nos convida a pensar, buscar uma solução e reagir. Não nos conformemos com a igreja entre aspas, vivamos a Igreja de Cristo, a Noiva, que não tem portas, janelas ou paredes. Que, no entanto, tem a mão estendida para ajudar aos necessitados, os braços para abraçar os que necessitam de amor, os pés para caminhar e alcançar os perdidos, e principalmente, a boca para anunciar o verdadeiro Evangelho de Cristo.

verdadeiro evangelho de Cristo
Fotografia frase e edição: Claudine Bernardes

Acredito que devamos fazer o exercício constante de renovar nossas mentes, autocriticar-nos para ver se o que estamos vivendo não é mais que um ato religioso, quando deveria ser uma relação com Deus. Por essa razão recomendo a leitura do livro “Igreja entre aspas. Somos pedras ou gente?” de Tuco Egg, publicado pela Editora Grafar. Tuco Egg também escreve no seu Blog “A Trilha“, ali você pode conhecer um pouco mais sobre o autor.

Lembre-se que “A Caixa de Imaginação” é um canal de comunicação bilateral. Será gratificante receber seus comentários e ideias.  Se gostou,  por favor, compartilhe! (En “La Caja de Imaginación” puedes leer también el post en Español: Reseña del libro “Iglesia entre comillas. ¿Somos piedras o personas“)

Anúncios

7 comentários sobre “Resenha livro: Igreja entre aspas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s