Categoria: Relatos

O amanhecer no Mediterrâneo

(Pinche para leer el texto en Español: Amanecer Mediterráneo)   Fotografia e edição: Claudine Bernardes. Praia de Benicassim Acordei assustada e olhei no relógio. Oh, não! O despertador não soou e já era às 6:30 da manhã. Pulei da cama, tomei meu café correndo (porque antes disso não sou gente), me vesti, peguei a bicicleta do meu marido

Continue lendo

Você julga a vida cinza de outros através de seu mundo colorido?

(Para leer el texto en español pincha en: Beth, mis minhas lágrimas y su corazón.) ( Beth, minhas lágrimas e seu coração. Nossos caminhos começaram a encontrar-se sem que ela me olhasse nos olhos. Era uma situação estranha, dessas que gostamos de evitar, porque nos faz sentir incômodos. Havia conhecido a Beth, sem no entanto, trocar

Continue lendo

Apatia, empatia, simpatia, compartia e outras tias.

(Para leer el texto en español pincha en: Empatía) Apatia, simpatia, compartia, empatia, e outras tias. A jovem caminhava com passos firmes e constantes pelo centro da cidade, quando observou uma multidão gritando com cartazes nas mãos. Aproximou-se do grupo com a mesma determinação que sempre a acompanhava e ficou escutando suas demandas por um salário e condições laborais mais dignas. Sempre

Continue lendo

A guerra é uma opção?

(Para leer el texto en español pincha en: ¿La guerra es una opción?)   Amapolas de Cerâmica _Mãe, onde está papai? _ Está longe, meu amor, em outro país, lutando pela nossa liberdade. A mulher tentava não chorar, enquanto o filho a olhava com dúvidas, sem entender o que significavam aquelas palavras. “Quando se haviam tornado escravos?” – Pensou

Continue lendo

Hora e meia. Nem mais nem menos.

(Para leer esta entrada en Español pincha en: Hora y media, ni más ni menos) Chegou o momento. Pego o capacete e a minha incansável companheira de aventuras de duas rodas, e saio com rumo certo.  Hora e meia, nem mais nem menos. Durante este tempo meus músculos se misturam com a engrenagem da bicicleta. Ela e

Continue lendo

Re-Read. Um sebo? Não! Uma livraria “Lowcost”

(Para leer esta entrada en español pincha en: Re-Read) Tesouro escondido “Deslizou a mão sobre os livros enfileirados na estante. Seus olhos se fixaram em um título conhecido, e uma chuva de lembranças jorrou desde um recôndito escondido da sua memória. Sempre vale a pena reler um bom livro – pensou. Retirou o livro da estante, sentindo-se como um garimpeiro ao encontrar

Continue lendo

O ruído das folhas secas em outono.

(Para leer el texto em Español pincha en: El ruido de las hojas secas en otoño) As tardes cinzentas de anoiteceres prematuros; as folhas secas que pisamos pelo caminho, são um pouco de todas as coisas belas que o outono nos presenteia. Porém, o mais belo que guardo do outono, é o teu sorriso maroto, enquanto corres pisando as folhas

Continue lendo

Crônica do meu primeiro encontro literário

(Para leer el texto en español pincha en : Corazones afines) Corações afins Entrei pela grande porta com vacilação. Geralmente lugares como aquele me fariam sentir bastante segura, como quando me escapava das amigas durante o recreio, e me escondia entre os livros. Caminhei timidamente pelo corredor folheando alguns livros, sem nem ao menos ler os

Continue lendo

Te atreves a sair das 4 paredes?

(Para leer el texto en Español pincha en: ¿Te atreves a salir de las 4 paredes?) Meu segundo lar Meu coração batia a um ritmo acelerado, enquanto pensava: “Já não tenho idade para essas aventuras. Mas que besteira estou dizendo? Deve estar faltando oxigênio no meu cérebro.” O caminho era íngreme, cheio de pedras e embora eu

Continue lendo

Meus delírios de domingo à noite.

Dois bolos estavam ainda quentinhos sobre uma mesa.

_ Que cheirinho gostoso eu tenho. Me sinto fofinho e sei que estou muito gostosão. – Disse um bolo ao outro, bastante cheio de si.
_É verdade vei, pareces bastante fofinho mesmo. Isso é resultado da hábil mão do padeiro, ele te fez com muito carinho, cara!
_ Táx loco, mano! Tu vêx algum padeiro aqui, maluco? Cara, nem sei o que é um padeiro. – Respondeu incrédulo.
_ Cara, então como tu pensas que surgiste?
_ Caraca! Da maneira mais óbvia… primeiro se juntaram muitos elementos, tipo… importantes meu.
_ Mano, esses elementos que tu falas são os igredientes que o padeiro colocou dentro da bacia.
_ Cala a boca mané e escuta! Depois ocorreu uma grande explosão que fusionou todos os elementos.
_ Maluco, isso se chama batedeira! A explosão que tu disses foi produzida pela batedeira do padeiro, que serve para misturar os ingredientes.
_ Fica quieto e escuta a voz da sabedoria, cara! Depois da explosão passaram muitos e muitos anos, tipo, muitos anos mesmo. Os elementos se foram misturando e a coisa começou a se transformar. O clima mudou um montão durante esse tempo, para ajudar na fusão, entende? Então, depois disso tudo apareceu o gostosão aqui.
_ Cara, esse tempo que tu dizes foi quando o padeiro te colocou no forno dele. Primeiro tava frio, depois esquentou a beça, isso te fez crescer. Meu, manlandro, foi o forno do padeiro que te fez crescer assim!
_ Tu tá é louco, cara! Essa conversa de padeiro é balela, história pra criança pequena e pra idiotas. Esse maluco! De onde tu tirou essa história, vei?
_ Da receita que tá aí do teu lado! – O bolo gostosão olhou a receita e a leu um pouco.
_ Cara, isso deve ter sido tu quem escreveu pra tirar uma onda com a minha cara!
_ Mané, tu pirou! Eu nem tenho braço! Como pensa que escrevi?